domingo, 26 de maio de 2013

Livorno



Oi pessoal, tudo bem?

Hoje o dia estava lindo! Estava muito disposta e resolvi sair para mostrar a cidade a vocês. Qual cidade? A cidade onde eu moro, Livorno, na Toscana. Fiz um pequeno tour pela cidade, digo pequeno por que algumas coisas eu não mostrei, como os dois fortes de Livorno (Fortezza Nuova e Fortezza Vecchia), não mostrei também o bairro chamado “venezia”, muito interessante, cheio de canais, e que lembra muito Veneza, daí o nome. Não foi esquecimento, foi falta de tempo mesmo. Quem sabe da próxima vez…

Logo quando vim morar em Livorno em 2009, não gostava nadinha desta cidade. Me recusava a sair de casa, achava todo mundo estranho e tinha a impressão de que todo mundo olhasse para mim pelos simples fato de eu ser estrangeira.  Às vezes não era impressão, muitas pessoas olhavam mesmo, principalmente quando saía com o meu amore. Deve ser por quê tenho a pele escura, sei lá. Tinha até quem se girava pra ficar olhando, olhando feio. Eu ficava incomodada demais. Mas nós sabemos que no Brasil o racismo é muito forte. Provavelmente até mais do que aqui. Então antes de criticar os outros países temos que olhar para o nosso. O problema não está no país de origem, é um problema inerente à raça humana. Infelizmente.

Mas acho que é uma coisa normal e que faz parte do período de adaptação. Depois você relaxa. Não repara mais.No começo temos (ou pelo menos eu tinha)um pouco de mania de perseguição, achamos que tudo que dá errado, dá errado só com a gente. Só por que somo extra-comunitários.  Extracomunitario? Parece um xingamento! rs rs rs  Agora me sinto à vontade aqui. Aliás, quando vou ao Brasil sinto saudade da Itália. Estranho não é isso?

Sabe qual é a pior coisa de morar exterior? Ser estrangeiro!  Sabe qual é a melhor coisa de morar no exterior? Ser estrangeiro.  Ser estrangeiro é ruim por que vocês não conhece muita gente e fica meio excluído de tudo. As pessoas te tratam com desconfiança. E a melhor coisa é ser estrangeiro, ou melhor, estrangeira, é que aqui mulherada nós somos BRASILEIRAS, LATINAS, SULAMERICANAS. Nos tornamos automaticamente mais interessantes. No Brasil somos nós mesmas,rs rs rs.  
Isto me faz lembrar de um filme americano(não lembro nome), que vi há muito tempo atrás, onde um homem Francês contava como era interessante ser um Francês nos States. Ele dizia que as mulheres se derretiam quando ele contava alguma coisa sobre a cidadizinha francesa onde ele tinha nascido, ou quando ele falava um pouco de francês. No final ele conclui: voltar à França? Pra quê? Aqui eu me sinto o super-man!

Não me sinto assim, claro. Sou um pessoa super normal. Me acho bem comum e não tenho superpoderes. Rs rs rs Mas se a pergunta é se um dia eu voltaria ao Brasil a resposta é: “não está nos meus planos”.

Para ver o vídeo com o tour da cidade basta dar uma clicadinha aqui.


Beijos e até o próximo post!

2 comentários:

  1. È verdade eu tb no inicio tinha a mesma impressao que vc tinha ....mas agora ja estou acostumada e gosto de ser a estrangeira ....o diverso sempre chama atencao!!! BJS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Barbara. E' bem chato no começo. Mas somos estrangeiras e seremos sempre. O diverso assusta mas tbm atrae. é interessante. A coisa melhor é relaxar, ver o ponto positivo e ser feliz! :) Bjossss

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...