quinta-feira, 30 de maio de 2013

Lá vou eu de novo... :)



Oi pessoal, tudo bem?

Falta pouco. Dia 08 de junho será a minha próxima apresentação no teatro. Ano passado apresentamos poesias, basicamente líamos poesias sobre o mar. O meu sotaque cearense era beeeem carregado rs rs rs Espero que eu pronuncie melhor as palava este ano. Não acredito que o público tenha intendido o sentido do espetáculo. Eu não entendi. rs rs rs Este ano vou interpretar realmente. A minha personagem é uma mulher jovem, solteira, religiosa e um pouco ingênua. Vou entrar com terço na mão e tudo. Estou um pouco ansiosa, admito. Dá sempre um friozinho na barriga. E se eu esquecer a minha fala??? Efeito OMO, branco total!

O espetáculo deste ano será uma comédia. Fomos dividos em grupos diferentes e cada grupo apresenterá uma história. São todas histórias cômicas. Estava pensando no fato de como é difícil fazer rir. Um aplauso, nem que seja de comiseração, o público sempre dá, mas risada… tem que ser espontânea. Que medo! Fico provando na frente do espelho, fazendo caras e bocas. Falando sozinha. 
Os vizinhos devem pensar que eu sou doida! rs rs rs

Enfim, uma coisa é certa: o palco vicia! Viciam o medo, o pânico e o prazer de saber que aquelas pessoas estão alí para nos ver. Mas depois que você sobe no palco, tudo passa tão rápido. Que peninha! Adoro também os momentos antes de subir no palco, nos camarins. Gente, ano passado levei muita coisa pro camarim, pois tinhámos que ficar provando por muito tempo. Carreguei uma bolsa (com rodinhas) com os seguintes itens: chapinha, maquiagem, vestido para trocar, sapatos de salto alto, caixas de som de computador, mp3, garrafa de água de 1,5l, sanduíche, escova de dentes e pasta, pente e escova de cabelos.
Tiraram muito sarro da minha cara! Ah, detalhe fizemos uma festa nos camarins. Coloquei músicas dos anos 70 e 80 para tocar e foi uma doidice. YMCA, I will survive, entre outras. Detalhe: tem outra brasileira(carioca) no grupo. Então, imaginem a bagunça! Até que o professor veio e acabou com a festa! Priscila, spegni questa musica! rs rs rs

A energia era muito boa. Todo mundo nervoso. Algumas pessoas choraram antes, outras choraram depois. Acho que é uma experiência bem interessante. Com certeza faz bem à memória e te ajuda a ser mais desinibido. Lembro bem a primeira aula: tínhamos que sair da sala, entrar sozinhos e olhar todas as pessoas nos olhos. Nossa! Fiquei em pânico. Todo mundo sentado olhando pra mim, me “encarando”. Eram quase vinte pessoas! Pessoas que eu nunca tinha visto antes. Fiz o mais rápido que eu pude pois estava com muita vergonha. E olha que eu não precisava dizer absolutamente nada. rs rs rs O que me dá mais ânsia, ainda hoje, são aulas de improvisação, pois tenho medo de errar os verbos, errar a pronúncia das palavras e de pagar mico. Então, não consigo relaxar.

Gosto mesmo é de uma comédia. Gosto de fazer as pessoas rirem. Espero que eu consiga alcançar meu objetivo. Desejem-me sorte, ou melhor, desejem-me muita MERDA!

Beijos e até o próximo post!
 

domingo, 26 de maio de 2013

Livorno



Oi pessoal, tudo bem?

Hoje o dia estava lindo! Estava muito disposta e resolvi sair para mostrar a cidade a vocês. Qual cidade? A cidade onde eu moro, Livorno, na Toscana. Fiz um pequeno tour pela cidade, digo pequeno por que algumas coisas eu não mostrei, como os dois fortes de Livorno (Fortezza Nuova e Fortezza Vecchia), não mostrei também o bairro chamado “venezia”, muito interessante, cheio de canais, e que lembra muito Veneza, daí o nome. Não foi esquecimento, foi falta de tempo mesmo. Quem sabe da próxima vez…

Logo quando vim morar em Livorno em 2009, não gostava nadinha desta cidade. Me recusava a sair de casa, achava todo mundo estranho e tinha a impressão de que todo mundo olhasse para mim pelos simples fato de eu ser estrangeira.  Às vezes não era impressão, muitas pessoas olhavam mesmo, principalmente quando saía com o meu amore. Deve ser por quê tenho a pele escura, sei lá. Tinha até quem se girava pra ficar olhando, olhando feio. Eu ficava incomodada demais. Mas nós sabemos que no Brasil o racismo é muito forte. Provavelmente até mais do que aqui. Então antes de criticar os outros países temos que olhar para o nosso. O problema não está no país de origem, é um problema inerente à raça humana. Infelizmente.

Mas acho que é uma coisa normal e que faz parte do período de adaptação. Depois você relaxa. Não repara mais.No começo temos (ou pelo menos eu tinha)um pouco de mania de perseguição, achamos que tudo que dá errado, dá errado só com a gente. Só por que somo extra-comunitários.  Extracomunitario? Parece um xingamento! rs rs rs  Agora me sinto à vontade aqui. Aliás, quando vou ao Brasil sinto saudade da Itália. Estranho não é isso?

Sabe qual é a pior coisa de morar exterior? Ser estrangeiro!  Sabe qual é a melhor coisa de morar no exterior? Ser estrangeiro.  Ser estrangeiro é ruim por que vocês não conhece muita gente e fica meio excluído de tudo. As pessoas te tratam com desconfiança. E a melhor coisa é ser estrangeiro, ou melhor, estrangeira, é que aqui mulherada nós somos BRASILEIRAS, LATINAS, SULAMERICANAS. Nos tornamos automaticamente mais interessantes. No Brasil somos nós mesmas,rs rs rs.  
Isto me faz lembrar de um filme americano(não lembro nome), que vi há muito tempo atrás, onde um homem Francês contava como era interessante ser um Francês nos States. Ele dizia que as mulheres se derretiam quando ele contava alguma coisa sobre a cidadizinha francesa onde ele tinha nascido, ou quando ele falava um pouco de francês. No final ele conclui: voltar à França? Pra quê? Aqui eu me sinto o super-man!

Não me sinto assim, claro. Sou um pessoa super normal. Me acho bem comum e não tenho superpoderes. Rs rs rs Mas se a pergunta é se um dia eu voltaria ao Brasil a resposta é: “não está nos meus planos”.

Para ver o vídeo com o tour da cidade basta dar uma clicadinha aqui.


Beijos e até o próximo post!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Receita: bolo de chocolate light



Oi pessoal, tudo bem?

Estou de volta com uma nova receita! Uma receita de bolo de chocolate light. É um bolo feito sem manteiga, sem ovos e com leite desnatado.  Adoro chocolate e todo dia como um pedacinho. É mais forte do que eu! O chocolate italiano é muito bom, durinho, com um sabor intenso e não muito doce. Do jeito que eu gosto! Também gosto de bolo de chocolate no café da manhã mas procurava uma receita um pouco menos calórica.

Antes fazia bolos “normais” com manteiga “normal”(que contém 82% de gordura) e com ovos também. Aos poucos comecei a usar a manteiga light, com 30% ou 50% menos gordura. Daí pensei: existirá um modo de fazer um bolo fofinho sem usar manteiga e ovos?

Tentei algumas receitas, três para ser exata, e nada. Da primeira vez, usei óleo de oliva (que seria o nosso azeite) e o bolo virou um grude.rs rs rs Depois tentei com yogurt mas o bolo tinha um gosto estranho. Muito doce, sei lá. O terceiro fiz com óleo de girassol e maizena mas a receita não era muito boa e o bolo quebrou-se em mil pedaços.Estou me sentindo meio dona-de-casa com essa conversa! Minha família deve estar rindo de mim à essa hora. rs rs rs rs

Um belo dia, depois de tantos experimentos científicos, finalmente descobri a receita perfeita. O bolo fica fofíssimo e gostoso! Não fica um bolo muito doce pois na receita é utilizado o cacau amargo. É um bolo que você come “com vontade” pois contém menos calorias de um bolo convencional.

A receita completa e as indicações estão disponíveis no canal Youtube(English subtitles available). Para ver o vídeo clique AQUI. É um receita muito fácil e rápida de fazer. Bom apetite e boa dieta! :)


Beijos e até o próximo post!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...