segunda-feira, 29 de abril de 2013

Escrevendo Português com o teclado italiano



Oi pessoal, tudo bem?

Hoje vou dar uma dica de como escrever Português corretamente utilizando um teclado italiano. Essa dica também pode ser utilizada para outros teclados estrangeiros.Sei que muita gente conhece essa dica mas acredito que pode ser útil para alguém. Por favor, não riam da minha cara. rs rs rs

O teclado italiano possui apenas 3 “acentos” do Português que são: “ç”, “é” e “à”. Nada mais. Para mim, escrever em Português tornou-se algo difícil e chato pois tinha que copiar e colar no texto as vogais acentuadas. Fala sério! Mas como escrevia raramente em Português, isto não era realmente um problema. 
Quando decidi começar a blogar percebi que tinha que resolver esse problema definitivamente. Fiz isto sem comprar um novo teclado e sem baixar nenhum programa ou barra de ferramentas.

A minha dica é a seguinte:

 Abra o programa Word:
 Vá em:  Enserir ----> Símbolo

Abra a caixinha dos símbolos e procure todas vogais acentuadas no nosso alfabeto que faltam no seu teclado e modifique os seus atalhos, tornando-os mais fáceis. Para criar os atalhos eu utilizei a tecla Ctrl+ um número de 1 a 9.   


Criei uma tabelinha com todos os atalhos que ficou assim:

 
Imprimi minha tabela e a colei no alto do computador. Então, toda vez que tenho que digitar em Português dou uma olhadinha na tabela, e vejo qual número tenho que digitar depois do Ctrl para a obter a minha vogal acentuada. Agora consigo digitar muito mais rápido pois este método é bem fácil de utilizar. Você precisa configurar estes atalhos apenas uma vez para cada computador. Não se preocupem em memorizar esses atalhos pois não existe a necessidade. Mas confesso que com o tempo e o hábito eu acabei memorizando alguns, sem querer querendo. rs rs rs

Então, gostaram da dica?

Beijos e até o proximo post!
 




domingo, 28 de abril de 2013

Visto de estudos de 6 meses


Oi pessoal, tudo bem?

Em 2009 procurava uma opção de visto para a Itália. Já tinha vindo por 3 meses em 2008 e queria voltar para ficar um pouco mais. O que fazer? Achei(ou melhor, achamos) uma solução pouco convencional ao meu problema. Uma solução mais simples e mais econômica do que se inscrever à  universidade. Quer dizer, me inscrevi na universidade mas de uma forma pouco conhecida. Fiz uma inscrição em um curso semestral (corsi singoli).

O que são os chamados “corsi singoli”? Significa simplesmente inscrever-se nas disciplinas(cadeiras) de um curso e não no curso de graduação. Com esta modalidade, é possível fazer no total 25 créditos por semestre. Esta é uma alternativa pouco utilizada mas prevista no regolamento. Para vocês terem uma ideia: nem mesmo o pessoal da secretaria da universidade era muito informado sobre isso. Eureka! Eu e meu amore tínhamos apenas descoberto uma “brecha” na lei.

Os pré-requisitos para a inscrição nestes cursos são:
·         Ter pelo menos 20 anos de idade;
·         Não ser inscrito em nenhuma universidade italiana;
·         Conhecimento da língua italiana.

Você terá praticamente os mesmos direitos de um estudante regular. Vai poder usar a biblioteca(pegar livros, revistas, cds, etc.), acesso à internet e acesso ao restaurante universitário. E o mais importante: se você decidir continuar estudando e quiser no ano seguinte fazer o curso de gradução é possível reconhecer os créditos que você conseguiu com os “corsi singoli”. Obviamente, para obter o reconhecimento dos créditos, as disciplinas têm que ser relacionadas a um único curso de graduação.

Nem mesmo a funcionária do consulado sabia dessa possibilidade de visto de estudos de 6 meses. Eu fui a primeira pessoa a fazer um coisas dessas.Então vocês podem imaginar a confusão... O que é isso? Nunca ouvi falar! rs rs rs

As vantagens deste método são:
·         Poder ficar por 6 meses na Itália e poder circular tranquilamente pela Europa;
·        O custo reduzido. O custo de cada crédito é de apenas €15 então o custo máximo sará de €375,00, se você fizer os 25 créditos previstos*;
·         Conhecer melhor a universidade italiana e o curso antes de decidir inscrever-se na graduação;
·         Melhorar seu italiano;
·         Poder trabalhar 20 horas por semana.

Um vez que você estiver aqui e decidir continuar a estudar é possivel renovar seu “permesso di soggiorno” sem precisar voltar ao Brasil (economizando passagem e stress!). Esta possibilidade é recente e surgiu graças a um decreto de 2011. No meu caso, tive que voltar ao Brasil depois dos 6 meses e pedir um outro visto de estudos.

(*) O custo e a quantidade de créditos podem variar de acordo com a universidade escolhida. No texto utilizo os datos da Universidade de Pisa.

Deixo aqui a vocês o link do Ministério e o link para o decreto.














Beijos e até o proximo post!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...